11 dicas de marketing de conteúdo para e-commerce

Tempo de leitura: 9 minutos

O Marketing de Conteúdo está crescendo a cada dia! As empresas têm percebido que ele pode ser uma arma fundamental de atração e geração de autoridade para as suas marcas.

E ele é capaz de trazer benefícios para todo tipo de empresa — inclusive, você adivinhou, para o seu e-commerce.

“Mas, como?”, você deve estar pensando.

Bem, essa é a pergunta que vamos responder agora mesmo. Nesse post, você descobre nada menos que 11 dicas matadoras de marketing de conteúdo para e-commerce.

Está preparado para toda a informação que vamos te passar? Então, boa leitura!

1. Estabeleça um objetivo

Sim, vale a pena investir em marketing de conteúdo. O que não vale a pena é investir nele (ou em qualquer outra prática) sem ter uma noção clara de qual é seu objetivo.

E existem vários objetivos diferentes que você pode estabelecer, como diferenciar seu e-commerce dos competidores ou aumentar a taxa de retorno dos clientes.

Cuidado com objetivos como “vender mais” ou “lucrar mais”. É claro que, se você é um empreendedor ambicioso, o dinheiro está na sua mente; mas a verdadeira questão é como você espera que o marketing de conteúdo ajude a conquistá-lo.

2. Produza conteúdo para os seus clientes

Um erro comum dos e-commerces é produzir conteúdo genérico, que pode agradar a qualquer um que entre no site da sua loja. Mas, para você, não é qualquer um que interessa.

Quem realmente importa são os seus clientes (e outras pessoas com o mesmo perfil que, portanto, podem se tornar seus clientes).

Então, como saber se você está produzindo conteúdo adequado ao perfil dos seus clientes?

É aí que entra a “persona”, uma construção do marketing que descreve em detalhes quem é a sua audiência.

Ou buyer persona, que representa seu cliente ideal. Tenha essa representação em mente quando produzir conteúdo e você sempre vai atingir o alvo.

3. Ajude seu cliente

Então, agora você está escrevendo conteúdo que é compatível com os clientes do seu e-commerce. Ótimo! O próximo passo é garantir que esse conteúdo seja útil.

Entenda que, se uma pessoa está pesquisando determinado item para comprar, ela possivelmente tem dúvidas ou curiosidades sobre esse item.

Responder aos questionamentos é uma ótima chance de trazer esse consumidor para o seu e-commerce.

4. Use diferentes formatos

Você não precisa limitar o marketing de conteúdo à ideia de artigos escritos. Na verdade, dentro do contexto do marketing de conteúdo para e-commerce, faz todo sentido produzir vídeos, infográficos ou podcasts.

Esses outros formatos também permitem trazer informação para ajudar o consumidor a tomar uma decisão de compra.

Por exemplo, um vídeo pode apresentar um tutorial sobre como utilizar certo produto; um podcast pode reunir especialistas para definir qual é a melhor marca ou as melhores configurações para comprar.

E não se esqueça das imagens, é claro. Fotos são indispensáveis para um e-commerce, já que as pessoas querem ter uma boa ideia do que vão comprar.

5. Promova seu conteúdo

O que não fazer: deixar que o seu blog seja visto apenas pelas pessoas que visitarem seu e-commerce para comprar. Essas pessoas já estão interessadas em comprar! Foi por isso que chegaram ao seu site! Elas vão ser muito menos influenciadas pelo seu conteúdo, que vai acabar desperdiçado.

O que fazer: deixar que as pessoas cheguem ao seu e-commerce por causa do seu blog; ou seja, usar o conteúdo como estratégia para atrair consumidores que não conhecem sua loja virtual.

Como fazer isso: promovendo seu conteúdo na internet de várias maneiras. Você pode postar links para o seu blog em redes sociais, especialmente em grupos relacionados ao tema do seu e-commerce, ou publicar guest posts em blogs do mesmo assunto, criando backlinks.

6. Facilite o compartilhamento do seu conteúdo

Já que estamos falando sobre maneiras de divulgar seu conteúdo, aqui vai uma alternativa extremamente fácil. Coloque botões de compartilhamento em todos os conteúdos do seu blog. TODOS.

Cada vez que um dos seus clientes gosta do seu post (ou vídeo, ou podcast) e compartilha com os amigos no Facebook, você alcança, de uma só vez, mais 100 ou 200 pessoas que possivelmente não conheciam sua loja. Sem nenhum investimento em anúncios patrocinados ou negociação com influenciadores digitais. Simples assim.

Por isso invista na sua fanpage e construa uma audiência engajada!

7. Use o marketing de conteúdo para diferenciar seu e-mail marketing

Você com certeza está inscrito na lista de e-mail marketing de, pelo menos, uma loja virtual. E o que você recebe nessa lista, na grande maioria das vezes? Exatamente: ofertas, cupons e descontos.

Tudo isso é ótimo, mas acaba se tornando repetitivo, especialmente porque muitas dessas listas disparam e-mails todos os dias — quem é que compra alguma coisa todo dia?

E assim o relacionamento se deteriora, até que o e-mail marketing vira um incômodo e você simplesmente aperta unsubscribe.

Para evitar esse desgaste, você pode diferenciar o e-mail marketing do seu e-commerce usando as listas para enviar conteúdo relevante, em vez de ofertas.

Assim, você mantém seus inscritos por mais tempo, o que lhe dá uma chance melhor de efetivamente vender alguma coisa.

8. Aposte em User Generated Content

Nem todo marketing de conteúdo para e-commerce precisa ser feito pelo próprio e-commerce.

Esse tipo de empresa tem uma vantagem importante, que é a possibilidade de utilizar conteúdo elaborado pelos próprios clientes — o que nós chamamos de User Generated Content.

Existem duas vantagens nessa estratégia. A primeira, obviamente, é que você tem uma economia de tempo e dinheiro.

Mas a segunda é ainda melhor: quando o conteúdo é elaborado por um cliente, ele possui muito mais credibilidade diante do resto da sua audiência, pois traz uma visão imparcial de alguém que não faz parte do negócio. Portanto, o impacto gerado é mais forte.

Essa é a lógica por trás das avaliações de clientes nas páginas de produto, que é a forma mais comum de UGC. Mas você pode usar outros formatos, ampliando a participação da sua audiência.

Esse tipo de abertura também gera engajamento, outro bônus interessante, mas exige que você tenha políticas bem estabelecidas de moderação do conteúdo gerado.

9. Fique atento à questão do idioma

Para um e-commerce, é fácil e lucrativo vender seus produtos internacionalmente. Principalmente se você trabalha com algum produto típico ou artesanal, que as pessoas de outros países não vão encontrar localmente.

Mas, se você decidir investir na exportação, precisa estar atento à questão do idioma. Contrate um bom tradutor profissional e adapte seu conteúdo para a língua do país em que pretende vender seus produtos (ou, se não tiver um alvo específico, para o Inglês).

Será preciso um pouco de trabalho e investimento a mais? Sim. Por outro lado, como poucos e-commerces brasileiros tentaram seguir esse caminho, você seria um pioneiro, com um nicho bem amplo para explorar sozinho!

10. Adapte suas pautas à realidade do seu e-commerce

É impossível falar em marketing de conteúdo sem falar na elaboração das pautas e do calendário de publicação.

Basicamente, você precisa planejar sobre o que vai falar em cada conteúdo. Mas esse planejamento é baseado em quê?

Bom, em um e-commerce, é natural que as pautas estejam relacionadas ao tipo de produto vendido e, até mesmo, a produtos específicos. Acontece que a maioria das lojas virtuais vende dezenas, centenas, ou até milhares de itens. E, infelizmente, é inviável produzir conteúdo sobre todos eles de uma vez.

Por esse motivo, é importante que as suas pautas e o seu calendário editorial de postagens sejam elaborador em torno da realidade do seu e-commerce.

Aqui vai um exemplo: uma floricultura online pode escrever, em maio, sobre as melhores flores para dar de presente às mães, apresentando alguns itens do seu catálogo.

Essa mesma sugestão não faria muito sentido no caso de uma loja virtual de peças de computador, já que esse tipo de produto não é geralmente comprado para dar de presente, muito menos para uma mãe.

Outra ideia é elaborar as pautas em torno dos itens que estão sendo mais vendidos no momento, usando as métricas de vendas para identificar os produtos mais “quentes”.

Ou, ainda, falando sobre um produto que acabou de ser lançado, para gerar mais interesse e alavancar as vendas iniciais.

Resumindo: para cada e-commerce, as pautas devem ser ajustadas ao nicho e à dinâmica de venda dos produtos.

11. Cuidado com o foco na quantidade

Essa última dica está relacionada com uma frase do item anterior:

“A maioria das lojas virtuais vende dezenas, centenas, ou até milhares de itens. E, infelizmente, é inviável produzir conteúdo sobre todos eles de uma vez.”

Você pode estar se perguntando: mas é mesmo? Eu não posso contratar alguém para escrever 1000 artigos, um sobre cada item que eu vendo na minha loja virtual?

Efetivamente, você pode! Mas estaria cometendo um dos erros mais comuns de quem decide investir em marketing de conteúdo para e-commerce. Você estaria priorizando quantidade, em vez de qualidade.

No marketing de conteúdo, o que importa é entregar conteúdo de qualidade aos usuários. Ele deve ser relevante, aprofundado, com informações novas (que não se acha facilmente em uma busca no Google).

Além disso, deve ser bem escrito, levando em consideração a persona dos clientes e também a identidade da sua marca, do seu e-commerce.

Então, vale mais a pena investir em 10 artigos de extrema qualidade, do que em 1000 artigos de 200 palavras escritas por alguém que não entende do assunto.

Com a transformação digital, cada dia mais e-commerces estão investindo em conteúdo, por isso é fundamental conseguir se destacar! O que você achou dessas 11 dicas de marketing de conteúdo para e-commerce? Qual delas você vai colocar em ação hoje mesmo?

Conte para a gente nos comentários! Ah, e não deixe de conferir também nosso post sobre otimização do checkout, com dicas quentes para aumentar suas vendas!

Esse conteúdo foi produzido pela equipe da Rock Content.